Mapeamento de Competências na Pequena Empresa de Software: O Caso da ABC Ltda

Ariel Behr, Kathiane Benedetti Corso, Roberto Lima Ruas, Henrique Mello Rodrigues Freitas, Cristina Dai Prá Martens, Ismael Eggers

Resumo


Este estudo contempla um dos segmentos da economia brasileira mais afetados pela carência no campo da gestão: o das Micro e Pequenas Empresas (MPE). Dentre as principais razões dessa dificuldade aparece com certeza a composição enxuta dessas empresas, fator que as impulsiona a focar suas energias e recursos em atividades-fim, restando pouca disponibilidade destes recursos para a sua própria gestão. Este artigo tem por objetivo aplicar e analisar uma metodologia que tem como finalidade mapear as competências organizacionais, funcionais e individuais em uma pequena empresa do setor de software, a partir de seus referenciais estratégicos, por meio de um estudo de caso exploratório do tipo descritivo-analítico, no qual se analisa uma metodologia de intervenção empresarial baseada na articulação sistemática entre atividades-fim (objetivos estratégicos) e atividades-meio (competências necessárias à organização, às áreas-funções e aos profissionais da organização). Em outras palavras, este estudo apresenta e analisa uma metodologia de intervenção orientada para a construção e o mapeamento da relação sistemática entre os objetivos estratégicos e as dimensões organizacional, funcional e individual da noção de competências, no contexto de uma pequena empresa com atuação no setor de software. A coleta de dados foi feita em quatro momentos pontuais: entrevista com o sócio-diretor, análise dos documentos comerciais, entrevista com a totalidade dos gestores e entrevista com clientes da empresa. No momento da análise dos dados foram identificadas as características das Competências Organizacionais associadas à estratégia e mapeadas as Competências Funcionais e Individuais da empresa. Os resultados apresentam contribuições para a atuação de empresas deste segmento e atividade pela evidenciação de fatores que influenciam este mercado e podem modificar os processos estratégicos dessas empresas; contribuições teórico-conceituais na medida em que integra em um mesmo método de intervenção, diversos conceitos associados a diferentes campos do conhecimento, e contribuições no campo das práticas e metodologias de intervenção organizacional, ao apresentarem e analisarem o mapeamento de competências em uma abordagem distinta das atualmente encontradas na literatura e pouco frequente no debate acadêmico-organizacional, uma vez que compreende os níveis organizacional, funcional e individual das competências.

Palavras-chave


Mapeamento de Competências; Gestão por Competências; Micro e Pequena Empresa; Negócio de Software; Referenciais Estratégicos

Texto completo:

PDF

Referências


Barney, J. B. (1991). Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of Management, 17(1), 99-120.

Becker, G. V. e Lacombe, B. M. B. (2005). Gestão, inovação e competências: conciliando idéias no estudo dos empreendedores de incubadora da base tecnológica. In: Ruas, R. L.; Antonello, C. S. e Boff, L. H. (Org.). Os novos horizontes da gestão: aprendizagem organizacional e competências. (pp. 168-186). Porto Alegre: Bookman.

Bitencourt, C. C. (2009, maio). A Gestão por competências: uma análise da mobilização entre competências, capacidades e recursos. Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Administração, 1(1), 126-136.

Dutra, J. S.; Fischer, A. L.; Ruas, R. L. e Nakata, L. E. (2006, setembro). Absorção do conceito de competência em gestão de pessoas: a percepção dos profissionais e as orientações adotadas pelas empresas. Anais do XXX EnANPAD - Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração, Salvador, BA, Brasil, 23-27.

Dutra, J. S. (2008). Competências: conceitos e instrumentos para a gestão de pessoas na empresa moderna. São Paulo: Atlas.

Fleury, A. C. C. e Fleury, M. T. (2004). Estratégias empresariais e formação de competências. (3a. ed.). São Paulo: Atlas.

Gilgeous, V. and Parveen, K. (2001). Core competency requirements for manufacturing effectiveness. Integrated Manufacturing Systems, 12(3), 217-227.

Godoy, A. S. (1995). Pesquisa qualitativa e sua utilização em administração de empresas. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, 35(4), 65-71.

Hair, J. F., Jr.; Babin, B.; Money, A. H. e Samouel, P. (2005). Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman.

Javidan, M. (1998, February). Core competence: what does it means in practice? Long Range Planning, 31(1), 60-71.

King, A. W.; Fowler, S. W. e Zeithaml, C. P. (2002). Competências organizacionais e vantagem competitiva: o desafio da gerência intermediária. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, 42(1), 36-49.

Moura, L. R. (2003). Qualidade simplesmente total. (p.187). Rio de Janeiro: Qualitymark.

Porter, M. E. (1980). Competitive strategy: techniques for analyzing industries and competitors. NewYork: The Free Press.

Porter, M. E. (1985). Competitive advantage: creating and sustaining superior performance. New York: The Free Press.

Prahalad, C. K. and Hamel, G. (1990). The core competence of the corporation. Harvard Business Review, 68(3), 79-91.

Revista Série Estudos Tecnologia, ano IX, n. 09, outubro 2009. Recuperado em 24 janeiro, 2010, de .

Rossato, M. A. (2002). Uma proposta de modelo de gestão do conhecimento. Tese de Doutorado, UFRJ/COPPE - Universidade Federal do Rio de Janeiro/Coppe – Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Ruas, R. L. (2005). Gestão por competências: uma contribuição à estratégia das organizações. In: Ruas, R. L.; Antonello, C. S. e Boff, L. H. (Org.). Os novos horizontes da gestão: aprendizagem organizacional e competências. (pp. 5, 34-55). Porto Alegre: Bookman.

Ruas, R. L. (2009a, abril). Observações acerca do conceito, natureza e aplicação da noção de competências nas empresas. Parte 1 – Competências Organizacionais. Texto elaborado para uso básico.

Ruas, R. L. (2009b, abril). Observações acerca do conceito, natureza e aplicação da noção de competências nas empresas. Parte 2 – Contribuições de Áreas (CtAs). (p. 5-7). Texto elaborado para uso básico.

Sarate, J. A. R. (2008). A contribuição da gerência intermediária para o desenvolvimento organizacional sob uma abordagem por competências. Dissertação de Mestrado, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS, Brasil.

SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas. (2007). Fatores condicionantes e taxas de sobrevivência e mortalidade das micro e pequenas empresas no Brasil 2003–2005. Brasília: SEBRAE.

Tachizawa, T.; Ferreira, V. C. P. e Fortuna, A. A. M. (2004). Gestão com pessoas: uma abordagem aplicada às estratégias de negócios. Rio de Janeiro: FGV.

Teece, D. J.; Pisano, G. and Shuen, A. (1997, August). Dynamic capabilities and strategic management. Strategic Management Journal, Sussex, UK, 18(7), 509-533.

Wood, T., Jr. e Picarelli, V. F. (1999). Remuneração por habilidades e por competências. São Paulo: Atlas.

Zarifian, P. (2001). Objetivo competência por uma nova lógica. (p.11). São Paulo: Atlas.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/10.5585

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista de Gestão e Projetos e-ISSN: 2236-0972
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional