Gerenciamento de Riscos e Gestão de Projetos Agroindustriais através de Redes de Petri

Carlos Alessandro Neiverth Oliszeski, João Carlos Colmenero, Guataçara dos Santos Junior

Resumo


Os setores da agroindústria cada vez mais aprimoram o conhecimento tecnológico dentro de suas áreas de atuação. Não somente pela concorrência, que é cada vez mais acirrada, mas também pela simples sobrevivência no mercado. Ao se propor o planejamento para o empreendimento rural, em moldes empresariais, deve-se considerar que, nesse tipo de sistema de produção, além de haver um número muito mais significativo de variáveis aleatórias, há ainda muito menos informações prontamente disponíveis e que essas nem sempre espelham de fato a realidade, dada a sua dinâmica. A rede de Petri, por ser uma técnica que tem obtido significativos avanços onde a rede de informação é complexa e está sujeita a vários fatores, como é o caso da agroindustrial e, visando obter um melhor desenvolvimento de projetos agroindustriais, paralelamente com a diminuição dos riscos econômicos encontrados por este setor, objetiva-se com este trabalho desenvolver uma metodologia de gerenciamento de riscos baseada nos conceitos de redes de Petri, para ser introduzida na gestão de empresas agroindustriais, e que eventualmente contribua para essa área, e assim possa evoluir gradativamente para a maturidade do gerenciamento de riscos em projetos nas entidades da agroindústria.

Palavras-chave


Petri Nets; Agribusiness; Project Management

Texto completo:

PDF

Referências


Aalst, W. V. D. and Hee, K. V. (2002). Workflow management models, methods, and systems. Cambridge, MA, EUA: MIT press.

Barros, J. P. M. P. R. (1996). CpPNeTS: Uma classe de redes de Petri de auto- nível – implementação de um sistema de suporte à sua aplicação e análise. Dissertação de Mestrado em Informática, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, Portugal.

Batalha, O. (2007). Gestão agroindustrial. (3a. ed.), São Paulo: Atlas.

Batalha, M. O.; Buainain, A. M. e Souza, H. M. Filho. (2005). Tecnologia de gestão e agricultura familiar: gestão integrada a agricultura familiar. São Carlos, SP: Edufscar.

Gido, J. e Clements, J. P. (2007). Gestão de projetos. (3a. ed., pp. 76-79), São Paulo: Thomson Learning.

Kerzner, H. (2006). Gestão de projetos: as melhores práticas. (2a. ed., pp.328-342), Porto Alegre: Bookman.

Menezes, K. (2007). Gerência de riscos: risk breakdown structure. Recuperado em 3 setembro, 2007, de .

Murata, T. (1989, April). Petri nets: properties, analysis and applications. IEEE Transactions of Engineering Management, New York, 77(4), 541-580.

Penha, D. O.; Freitas, H. C. e Martins, C. A. P. S. (2010, novembro). Modelagem de sistemas computacionais usando redes de petri: aplicação em projeto, análise e avaliação. Anais do IV Escola Regional de Informática RJ/ES, Rio das Ostras, RJ, Brasil, 26-28. Recuperado em 3 outubro, 2010, de http://www.sbc.org.br/bibliotecadigital/download.php?paper=33

PMI – Project Management Institute (2004). A guide to the Project Management Body of Knowledge - PMBOK® 2004 Guide. (3a. ed., tradução livre). Newtown Square, PA, USA: Project Management Institute.

Tüller, M.; Cullen, J. e Trüb, J. (2009). Apostando a fazenda? Riscos agrícolas no Brasil. Zurich: Swiss Reinsurance Company Ltd.

Yamada, M. C.; Porto, J. V. e Inamasu, R.Y. (2002, junho). Aplicação dos conceitos de modelagem e de redes de Petri na análise do processo produtivo da indústria sucroalcooleira. Revista Pesquisa Agropecuária Brasileira. Brasília, 37(6), 809-820.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/10.5585

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista de Gestão e Projetos e-ISSN: 2236-0972
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional