Fatores Dificultadores nas Práticas de Gestão no Relacionamento Entre os Supermercadistas e Seus Fornecedores

José Ribamar Tomaz da Silva Filho, Milton Carlos Farina, Marcos Antonio Gaspar, Hellen Claudia Donato

Resumo


O objetivo desta pesquisa é identificar os fatores dificultadores na prática de gestão do relacionamento entre os supermercadistas e seus fornecedores no município de São Caetano do Sul (SP). O suporte teórico para a realização desta pesquisa, baseia-se na gestão do relacionamento com fornecedores (Supplier Relationship Management - SRM), redes interorganizacionais e supermercados. Esta é uma pesquisa descritiva cujo método de estudo aplicado foi um survey com 30 estabelecimentos. A coleta de dados foi realizada por meio de um questionário estruturado com perguntas fechadas. O software Social Package for Social Sciences (Spss) foi utilizado na tabulação dos dados quantitativos coletados na pesquisa de campo. Os resultados obtidos indicaram não haver a prática de gestão no relacionamento entre os supermercadistas e seus fornecedores para o compartilhamento de informação, estoque, acondicionamento de produtos e até incentivo para parcerias para promoções e/ou divulgação de produtos. Sendo assim, os supermercadistas indicaram a falta de ações que poderiam fortalecer o relacionamento interorganizacional e apresentaram, como fatores dificultadores do relacionamento, os prazos para pagamentos das compras serem relativamente curtos, além de não haver nenhum acompanhamento posterior às vendas para estreitamento da relação para se obter benefícios estratégicos com as possíveis parcerias baseadas em ações para sobrevivência no mercado competitivo atual.


Palavras-chave


Gestão de relacionamentos com fornecedores; Redes interorganizacionais; Supermercados de pequeno porte.

Texto completo:

PDF

Referências


Abras Superhiper (2012) Supermercados, quais são suas intenções? Recuperado em 12 agosto 2012, de http://www.abrasnet.com.br/prod_frm_sh.asp.

Acnielsen (2004) Quinto estatuto anual de marcas próprias. São Paulo: Nielsen.

Amato, J. (1990). O papel da pequena empresa no processo de reestruturação industrial: a experiência internacional. RAE – Revista de Administração de Empresas, 20(4), 802-804.

Andrighi, F. F., Hoffmann,V. E., & Andrade, M. A. R. (2011) Análise da produção científica no campo de estudos das redes em periódicos nacionais e internacionais. Revista de Administração e Inovação, 8(1), 25-53.

Balestrin, A., & Vargas, L. M. (2003) Redes horizontais de cooperação como estruturafavorável ao desenvolvimento das PMEs. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Administração - EnAnpad, Atibaia, SP, Brasil, 26.

Ballou, R. H. (2001) Business logistics management, planning, organizing and controlling the supply chain management (4a ed.). New Jersey: Prentice Hall.

Bowersox, D. J., & Closs, D. (2001) Logística empresarial: o processo de integração da cadeia de suprimentos. São Paulo: Atlas.

Bowersox, D. J., Closs, D., & Cooper, M. (2007) Gestão da cadeia de suprimentos e logística. Rio de Janeiro: Elsevier.

Cândido, G. A. (2000) Os conceitos de redes e as relações interorganizacionais: um estudo exploratório. Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação e Pesquisa em Administração - EnAnpad, Florianópolis, SC, Brasil, 14.

Cândido, G. A. (2001) Fatores críticos de sucesso no processo de formação, desenvolvimento e manutenção de redes interorganizacionais do tipo agrupamentos industriais entre PMEs: um estudo comparativo de experiências brasileiras. Tese de doutorado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Castells, M. (1999) A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra.

Christopher, M. (2007) Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos: estratégias para a redução de custos e melhoria dos serviços. São Paulo: Pioneira.

Dias, C. N. (2015) A influência das redes interorganizacionais e da complementariedade de recursos no desempenho da inovação: um estudo comparativo Brasil-Espanha no setor de pesquisa agropecuária. Tese de doutorado, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil.

Fish, A., & Sydow, J. (2007) Interorganizational networks at the network level: a review of the empirical literature on whole networks. Journal of Management, 33(3), 479-516.

Fombrum, C. J. (1997) Strategies for network research in organizations. Academy of Management Review, 7(2), 280-291.

Gil, A. C. (2002) Como elaborar projeto de pesquisa (4a ed.). São Paulo: Atlas.

Gummesson, E. (2010) Marketing de relacionamento total (3a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Gunasekaran, A., Patel, C., & Tirtiroglu, E. (2003) Performance measures and metrics in a supply chain environment. International Journal of Operation & Production Management, 21(1/2), 71-87.

Haddad, N. (2004) Metodologia de estudos em ciências da saúde. Como planejar, analisar e apresentar um trabalho científico. São Paulo: Roca.

Handfield, R. B., & Nichols Jr., E. L. (2003) Key issues in global supply base management. Industrial Marketing Management, 33(7), 29-35.

Harland, C. M., Lamming, R. C., Zheng, J., & Johnsen, T. E. (2001) A taxonomy of supply networks. The Journal of Supply Chain Management, 26(1), 21- 27.

Hoffmann, V. E., Molina-Morales, F. X., & Martínez-Fernandez, M. T. (2002) Redes de empresas: uma tipologia para sua classificação. Anais do Encontro da Associação Nacional de Programas de Pós-graduação e Pesquisa em Administração - EnAnpad, Curitiba, SC, Brasil, 27.

Ibge – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2012) Pesquisa atividades comerciais 2010. Brasília: Ibge.

Lambert, D. M. (2008) Supply chain management: processes, partnerships, performance. Sarasota: Supply Chain Management Institute.

Leenders, M. R., & Fearon, H. A. Y. (1997) Purchasing and supply management. (11a ed.). Chicago: McGraw-Hill/Irwin.

Malhotra, N. K. (2001) Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. (3a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Maranhão, S. R. (2006) Relacionamento com fornecedores através de contratos. Revista P&D Engenharia de Produção, 7(1), 1-19.

Marcon, M., & Moinet, N. (2000) La stratégie-réseau. Paris: Éditions Zéro Heure.

Morgan, R. M. (1996) The commitment-trust theory of relationship marketing. Journal of Marketing, 58, 20-38.

Nadvi, K. (1999) The cutting edge: collective efficiency and international competitiveness in Pakistan. Brighton: University of Sussex (discussion paper, v. 360).

Oliver, C. (1990) Determinants of interorganizational relationships: integration and future directions. Academy of Management Review, 15(12), 241-265.

Rech, I. (2006) Redes de desenvolvimento e sua perenidade: entendendo os elementos (des)motivadores. Anais do Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica da Anpad, Gramado, RS, Brasil, 24.

Rech, I., & Maçada, A. C. G. (2010) Em busca de uma classificação que relacione a co-criação de valor baseada na tecnologia da informação nos relacionamentos interorganizacionais. Anais do Encontro de Estudos Organizacionais da Anpad - Eneo, Florianópolis, SC, Brasil, 6.

Sebrae - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. (2010) Notícias n-Sebrae. Recuperado em 06 junho 2012, de http//www.sebrae.com.br/fichatécnica/ Supermercado/Sebrae.

Silveira, J. A., & Lepsch, S. L. (1997) Alterações recentes na economia do setor supermercadista brasileiro. Revista de Administração, 32(2), 5-13.

Superhiper. (2004) Revista da Associação Brasileira de Supermercados - Superhiper meu fornecedor. São Paulo: Superhiper, 27 (309).

Superhiper. (2012) Revista da Associação Brasileira de Supermercados - Superhiper meu fornecedor. São Paulo: Superhiper, 30 (309).

Van de Ven, A. H. (1976) On the nature, formation, and maintenance of relations among organizations. Academy of Management Review, 1, 24-36.

Vivaldine, M., & Pires, S. R. I. (2010) Operadores logísticos: integrando operações em cadeias de suprimento. São Paulo: Atlas.

Vollmann, T., Cordon, C. (1997) Building successful customer-supplier alliances. Long Range Planning. 31(5), 85-101.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/10.5585

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista de Gestão e Projetos e-ISSN: 2236-0972
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional