v. 5, n. 1 (2014)

janeiro-abril

Editorial Vol.5N1 – 2014

 

O conhecimento no campo da gestão de projetos tem demonstrado crescente evolução em diversos aspectos. Tradicionalmente, os trabalhos abordavam a aplicação das práticas de gestão de projetos, fatores críticos e medidas de sucesso, papel e perfil do gerente de projetos, entre outros tópicos mais comumente explorados. Certamente esses tópicos não se tornaram menos relevantes, mas passaram a ser pesquisados considerando circunstâncias mais relacionadas às atuais características do ambiente de negócios e suas dimensões.

Recentemente, observou-se que autores têm focalizado temas como maturidade em gestão de projetos, escritório de projetos, gestão do conhecimento em projetos, habilidades comportamentais, apenas para se mencionar alguns. Nesta edição, foram publicados oito artigos que exploraram alguns desses temas sob diferentes perspectivas e abordagens de pesquisa.

No primeiro artigo, “The Impacts of Gender, Sexual Orientation, and Ethnicity on Project Managers’ Roles in Brazil” os autores entrevistaram vários gerentes de projeto que atuam em organizações brasileiras de médio e grande porte e, por meio da análise de discurso, constataram a essencialidade das habilidades comportamentais para a progressão na carreira e a forte influência da cultura local.

O segundo trabalho, “Benefícios Alcançados por meio de um Modelo de Gestão Ágil de Projetos em um Empresa de Jogos Eletrônicos”, a partir de um estudo de caso, avalia os potenciais benefícios decorrentes da aplicação de um modelo de gestão ágil ao longo do ciclo de vida da criação de jogos eletrônicos. Os autores identificaram que a agilidade resultou do comprometimento com sucesso do projeto por parte da sua equipe, da sua gerência, do seu cliente e dos seus patrocinadores.

No terceiro artigo, “A Influência dos Principais Fatores de Risco nas Diferentes Fases do Ciclo de Vida dos Projetos de Capital em uma Empresa de Mineração de Grande Porte”, os autores, por meio de um estudo de caso, cujos dados foram levantados a partir de duas entrevistas e dois workshops, identificaram os principais fatores de risco ao longo de ciclo de vida dos projetos de capital e sua influência sobre o desempenho desses empreendimentos.

Com o quarto trabalho, “Busca do Conhecimento Técnico-Científico: Análise da Rede Informal Interoganizacional”, os autores avaliaram se e como a rede social dos pesquisadores da Embrapa Gado de Corte facilitou o processo de geração do conhecimento. Os resultados demonstraram baixa densidade dos potenciais laços da rede, destacando-se a necessidade de ações relativas à gestão de pessoas e à motivação para compartilhamento do conhecimento.

O quinto trabalho, “Abordagens do PMBOK e CMMI sobre o Sucesso dos Projetos de Softwares”, por meio de um estudo teórico, compara os requisitos essenciais ao sucesso de projetos de desenvolvimento de software bem como seus principais processos de gerenciamento de projetos. Os autores apontaram diferenças entre as abordagens pesquisadas e destacaram que estas são complementares.

No sexto artigo, “Métodos para Captura de Lições Aprendidas: Em Direção à Melhoria Continua na Gestão de Projetos”, de abordagem teórica, a autora revisitou e analisou métodos de captura de lições aprendidas em gestão de projetos. Como contribuição, a autora elaborou recomendações que visam o aprimoramento do aprendizado sistemático nos projetos e a implementação de lições aprendidas na gestão desses empreendimentos.

Com o sétimo trabalho, “Uma Proposta de Instrumento de Pesquisa para a Avaliação do Desempenho do Escritório de Gerenciamento de Projetos”, os autores apontaram uma lacuna relativa à baixa disponibilidade de instrumentos de pesquisa validados que permitam a mensuração do desempenho do escritório de gerenciamento de projetos. Como resultado, estes autores propuseram um instrumento de pesquisa com a finalidade de contribuir com a redução da referida lacuna.

Finalmente, no oitavo artigo, “Gestão de Projetos e Estudos Organizacionais: Dois Lados da Mesma Moeda?”, de natureza teórica, os autores discutiram as semelhanças e diferenças entre as organizações tradicionais e as organizações temporárias. A referida discussão se sustentou no escritório de gerenciamento de projetos e partindo do pressuposto que organizações sociais são entendidas como fenômenos multifacetados, e portanto, os autores questionaram sua análise por meio de uma mesma abordagem organizacional.

 

Boa leitura a todos!

 

Marcos Roberto Piscopo

Editor

 

Sumário

Artigos

Luiz Gustavo Mauro de Queiroz, Marcos Lopez Rego, Helio Arthur Irigaray
01-14
Raphael Donaire Albino, Cesar Alexandre De Souza, Edmir Parada Vasques Prado
PDF
15-27
Roberto Vendramini Mulisani, Marcos Paixão Garcez
PDF
28-41
José Roberto de Souza Freire, Milton Carlos Farina, Siomara Maria Pierangeli Pascotto, Isabel Cristina dos Santos
PDF
42-54
Ezequias Batista Pinto, Alexandre Meira Vasconcelos, Álvaro Guillermo Rojas Lezana
PDF
55-70
Giuliana Santos Veronese
PDF
71-83
Ronielton Rezende Oliveira, Henrique Cordeiro Martins, Alexandre Teixeira Dias, Plínio Rafael Reis Monteiro
PDF
84-99
Pedro Afonso de Vasconcellos Dullius, Marie Anne Macadar
PDF
100-107